19 janeiro 2018

Vem aí o ProfLab Day!


Sim! O ProfLab está de volta sem hífen na marca pra ficar tudo bem mais juntinho! E a temporada 2018 já vai começar agitada com site novo, evento novo, formações novas, hashtags novas... Tudo novo porque o que a gente gosta mesmo é de inovar.

Atendendo aos pedidos de muitos desbravadores desenhamos uma ação especial para envolver um maior número de pessoas. Assim, está chegando a Caruaru (viva!) no próximo dia 31 de janeiro o ProfLab Day, que reunirá profissionais de diferentes áreas com a missão de desenhar novas experiências de aprendizagem tanto para alunos quanto para professores. A ideia é levar o ProfLab a muitos lugares nesse formato.

Com o tema Design Thinking para Educadores, o evento está programado para acontecer das 9 às 18h, no Armazém da Criatividade, localizado dentro do Polo Comercial de Caruaru, Rodovia BR 104, Km 62 s/n, bairro Nova Caruaru.

São 100 vagas disponíveis para a exposição sobre Design Thinking, pela manhã, e as 40 primeiras inscrições terão direito a participar, à tarde, da atividade prática no laboratório de modelagem e produção do Armazém da Criatividade. A inscrição custa R$20.

No ar desde 2015, o ProfLab já formou 38 turmas com sete temas trabalhados, entre eles o Design Thinking, ministrado pelo especialista Alessandro Lima, educador responsável pelo enfoque sobre o tema no ProfLab.


Sobre o Design Thinging O Design Thinking está relacionado a projetos. E por projeto entende-se qualquer intenção de realizar ou desenvolver alguma coisa: um software, uma cadeira, uma viagem, aquela reforma na sua casa e – por quê não? – uma aula. Mais do que uma metodologia, o Design Thinking é uma abordagem capaz de transformar a maneira como pensamos e os métodos como estamos acostumados a resolver problemas. Isso nos permite compreender que existem outras formas de trilhar a aprendizagem.

Essa abordagem já é utilizada em todo o mundo trazendo contribuições significativas para várias áreas, tanto que em 2013 a Ideo, consultoria global de design, expandiu o método para a área de educação. Um toolkit foi produzido para ajudar a desenvolver o pensamento crítico e a capacidade de inovação de todos que atuam na área, inclusive tendo sua tradução para o português autorizada pela Ideo e conduzida pela equipe do projeto Design Thinking para Educadores.

Para saber mais é só acessar o novo site do projeto no endereço: http://www.souproflab.com.br

21 dezembro 2017

Sua sorte do ano já chegou!


2016 foi um ano meio maluquinho e a gente não conseguiu preparar um mimo físico para nossos parceiros. Preparamos mensagens digitais e desejamos que o novo ano pudesse ser uma experiência mais legal para todos. Parece que deu certo! Em 2017 o planejamento funcionou e os brindes da +Pipa Comunicação voltaram!

Como acontece em todos os anos, sempre existe uma história por trás da ideia de presente. Só que neste ano específico a história é tão forte que saiu dos bastidores e se transformou na mensagem em si. E é essa história que vou contar a partir de agora com todos os detalhes.

Antes de iniciar qualquer projeto a gente faz uma pesquisa de referências. Geralmente essa pesquisa é digital, mas em 2017 optamos por algo presencial. Trocamos o Google e o Pinterest pela Feira de Caruaru. Uma das alas da feira é dedicada só ao artesanato e foi exatamente nela que a pesquisa começou.

Nesse ano recebi ajuda da minha mãe que visitou comigo diversas lojas e conversou com inúmeros artesãos e artesãs que vendem suas criações na feira. Passear pela feira é como navegar num mar de criatividade com diversos criativos navegando junto com você. Fuçamos cada metro quadrado da feira em busca de algo que nos ajudasse a contar uma história.

Nessa navegada minha mãe encontrou uma amiga que trabalha como vendedora em uma das lojas. Enquanto elas conversavam examinei a loja até chegar a uma cesta repleta de bonequinhas de pano em miniatura. Esperanças! Gritei. Foi quando a moça respondeu não. "Esperanças são feitas na Paraíba, essas aí são bonequinhas da sorte". Bonequinhas da sorte? Pensei. Eu poderia enviar mensagens de esperança, mas cruzei com a sorte! "Você sabe a história delas?", perguntei. E ela respondeu que sim. Todo artesanato por lá tem uma história curiosa. No mesmo momento informei que levaria 100 delas se ela me contasse a história enquanto selecionávamos.


Daí pra frente foi só emoção! Fiquei sabendo que as bonecas eram produzidas em Gravatá, que fica a uns 30 minutos de Caruaru. Que eram feitas em uma cooperativa de artesãs liderada pela criadora do projeto e também que eram exportadas para diversos países. Outro detalhe é que as menores, do tamanho da ponta do meu dedo indicador, eram produzidas por um homem e se destacavam pela delicadeza e riqueza de detalhes em tamanho tão pequeno.

Voltei pra casa com 100 bonequinhas da sorte e uma curiosidade sem tamanho. Era a vez de usar o Google pra saber mais sobre essa história. Foi quando esbarrei com esse vídeo aqui que apresentava Dona Nilza, a criadora do projeto. Uau, a produção é colaborativa! Encantada, pesquisei mais um pouco e descobri que Dona Nilza é uma ninja que inovou em um momento de dificuldade financeira. Ela precisava gerar renda e tudo que tinha no momento era alguns retalhos doados. Alguém havia sugerido bonecas de pano e ela pensou que poderia propor algo diferente do tradicional, daí a ideia das miniaturas. O projeto deu tão certo que Dona Nilza decidiu ensinar outras pessoas como fazer as bonecas e montou uma cooperativa ajudando a gerar renda para mais de 30 famílias. Eis a sorte atraída pelas bonecas.

via GIPHY

Nesse momento eu vi que a nossa mensagem de fim de ano era a própria história da Nilza Bezerra e da sua criação tão linda. Uma história poderosa de inovação, aprendizagem e colaboração. Tudo simples e criativo como tem que ser. Não tive dificuldade alguma em desenvolver um cartão e fixar uma bonequinha pra desejar boa sorte pra quem irá receber cada um deles. Tudo artesanal também! Impresso, cortado e embalado por mim e por +Augusto Noronha, assim como as criações da Dona Nilza.

Inspirem-se e aguardem! Mais cedo ou mais tarde a sua sorte para 2018 vai chegar em suas mãos! Agradecemos a todos pela parceria! Sem vocês 2017 não teria sido tão bacana.



09 novembro 2017

Questionaram? Siga! Você está no caminho certo.


Todas as vezes que iniciei um projeto eu tive a certeza de que estava no caminho certo quando alguém questionou. Foi assim no meu TCC quando decidi que queria acompanhar um dia de trabalho dos artistas que se apresentavam nos ônibus do Recife. Na época um dos meus professores me questionou se era mesmo "interessante" fotografar "aqueles pedintes". O resultado é um ensaio fotográfico que obteve nota máxima e que transformei em livro digital anos depois. É gratuito e você pode baixar aqui: ebookanonimos.

Logo em seguida decidi montar uma empresa com o que tinha na mão e no bolso. Muitas pessoas me chamaram de maluca, mas  +Augusto Noronha era tão maluco quanto eu e a gente montou a Pipa. Perdi as contas de quantas vezes fomos questionados por nossa empresa não ter sede física e até hoje tenho que responder o que é um escritório virtual e um home office até mesmo para nossos pais. A Pipa Comunicação hoje é escritório de design, produtora de conteúdo, estúdio de aprendizagem e editora. Vai completar 12 anos em 2018.

Ebooks? Gratuitos? Não vai dar certo! Diziam aqueles que não acreditam no poder da difusão do conhecimento e divulgação científica. As pessoas querem sentir o cheirinho de livro novo e impresso. O resultado? Uma Livraria online com mais de 25 ebooks gratuitos (tem mais um no prelo) e milhares de downloads.


Outro questionamento recorrente: criatividade dialoga com educação? Também perdi as contas de quantas foram as vezes em que precisei afirmar que criatividade não é um dom e sim uma habilidade que pode e deve ser estimulada. Fiz até um pôster para ilustrar! Nesse contexto nasceu uma série de publicações sobre criatividade e educação, a Série Professor Criativo que virou uma comunidade com quase 5 mil pessoas no Facebook e 4 livros publicados.

Mas, o melhor questionamento dos últimos tempos foi sobre por que trabalhar com professores. Esse foi curioso porque sempre vinha acompanhado de uma desvalorização pesada do educador. Acreditem, há quem pense que não há o que se trabalhar com professores porque ou eles já sabem de tudo ou são pessoas que não querem investir em si próprios. Ouvi isso muitas e muitas vezes. Até cansar. Exigem tanto dos professores e não querem se preocupar com eles? Não me parecia correto!


Todo esse histórico me fez ter a certeza de que quando alguém começa a questionar demais a sua ideia é sinal de que você está no caminho certo. É fácil seguir? Não! Mas, nada na vida é. Se fosse pra viver numa nuvem rosa teríamos todos nascido ursinhos carinhosos, não é mesmo?



O Prof-Lab, nosso programa de formação criativa para professores, nasceu em meio a tudo isso: muitos questionamentos e muitas ideias. Por que não mergulhar nesse caldo e ver no que vai dar? Apertamos o nariz e saltamos do trampolim. Ainda estamos nadando nessa maré que ora está tranquila, ora atormentada. E tenho aprendido muito em ambos os momentos.

Esse texto todo foi só pra dizer que participei da seleção do programa Educadores Inovadores do Google com o Prof-Lab como projeto de inovação. O resultado da seleção saiu nessa semana e meu nome está lá na lista de 36 inovadores que querem transformar a educação a partir de projetos. A ideia é aprender com quem já desenvolve grandes iniciativas em educação novas formas de aprimorar o nosso projeto. Um ano de mentoria que vai começar na Academia Innovator em São Paulo junto a equipe do Google for Education.


O processo de seleção requer a comprovação da sua proficiência no uso de tecnologias Google e mais a preparação e submissão de uma série de documentos. Tô bem feliz por ter conseguido uma vaga em meio a tantos educadores inovadores. Também estou super curiosa e com consciência da responsabilidade que tenho pela frente. Queria dividir essa alegria com vocês e compartilhar o vídeo que fiz para a seleção.



E lembrem-se sempre: quando alguém questionar a sua ideia, invista! Você está no caminho certo.

28 outubro 2017

Descomplicando conceitos através de imagens


"Uma imagem vale mais que mil palavras" é daqueles clichezões que de tão utilizado já poderia estar sentado no trono de ferro. Eu sou do time que acredita que tanto as imagens quanto as palavras têm seus valores e, se utilizadas em conjunto, são capazes de mudar o mundo.

Mas, eu sou uma produtora de imagens, né? Então é normal minha balança pesar para esse lado. Toda essa imersão no universo visual me faz dedicar grande parte do meu dia à produção de imagens. Mas, não é só no trabalho que estou mergulhada nessa maré visual. Meus estudos também são norteados por todo esse universo. Há cada vez mais vídeos, infográficos e animações em meus arquivos de estudo, o que tem permitido que minhas experiências de aprendizagem sejam mais variadas e divertidas.

Ao projetar livros e outros tipos de materiais didáticos sempre me deparei com gráficos, diagramas e tabelas mal pensados e mal executados. Perdão pela sinceridade, mas essa é a realidade. Acredito que esses elementos visuais devam ser utilizados para simplificar conceitos e não para os tornar cada vez mais nebulosos. Mas, parece que o modelo que temos de ciência quer mesmo que a produção intelectual seja algo inacessível.

Foi a partir desse incômodo que saí em busca de outras formas de apresentação de um mesmo conceito. Percebi que diferentes tipos de imagem me ajudavam a compreender melhor alguns deles. Assim, minha curiosidade me motivou a investigar os processos de produção desse tipo de imagem.

Iniciei os estudos sobre Pensamento Visual e comecei a ensaiar como descomplicar conceitos através de infográficos e ilustrações que pudessem ser úteis tanto para mim como para outros aprendizes. Redesenhei muita coisa e posso afirmar que a produção de imagens é tão eficiente para aprendizagem como a sua leitura.

Gostei tanto desses estudos que passei a produzir material e propor novos desenhos para os projetos nos quais estou envolvida. Alguns desses materiais foram produzidos exclusivamente para o Prof-Lab. E como conhecimento precisa ser compartilhado, trouxe alguns desses recursos para esta postagem para que você possa salvar e utilizar como quiser.

Descomplicando com Pensamento Visual



Exercitando o Pensamento Computacional



Como fazer projetos fantásticos



Certamente novos infográficos surgirão em breve. Aguardem!

17 outubro 2017

Um vídeo colaborativo criado por educadores em rede


Foi trabalhando com design que eu consegui ver que a partir do planejamento eu poderia dar vida as minhas ideias e as colocar no mundo. Foi trabalhando com comunicação que eu descobri todo o potencial de fazer parte de redes e entendi que poderia, inclusive, construir uma. E foi unindo, comunicação, design e educação que finalmente entendi que era capaz de tocar o projeto que eu quisesse.

Faltando exatamente oito dias para a data, virei para +Augusto Noronha e falei: precisamos criar algo para o Dia do Professor. A partir daí rolou um brainstorming rápido, no carro, numa viagem entre uma cidade e outra. Estava decidido, iríamos propor um projeto colaborativo em que os professores pudessem trabalhar junto conosco. Da mesma forma como fizemos no edital que resultou no ebook Educação Criativa. Mas só havia 8 dias, o que fazer?

Dizem que é no ambiente de restrição onde a criatividade mais aflora. E é mesmo! Estávamos desafiados a produzir algo em oitos dias. Um vídeo! Pensei. Graças aos bons deuses hoje em dia muitas pessoas possuem em casa e no bolso poderosos dispositivos de captura de imagem. Oito dias era um prazo curto, mas daria certo. A democratização da produção de conteúdo é uma realidade.


Lançamos uma pegunta norteadora que fosse capaz de provocar a reflexão. Pra você o que é um professor criativo? O objetivo era revelar as diferentes formas como compreendemos a criatividade. Iniciamos os disparos de e-mail para a maioria dos professores criativos da nossa rede solicitando um vídeo de até 1 minuto em resposta a essa pergunta. Já sabíamos que o prazo era maluco e que vídeo era um conteúdo bastante desafiador para se produzir. Mesmo assim, apostamos no desafio e acreditamos no potencial de cada educador convidado. Estávamos lá para ajudar no que fosse preciso.

Sete educadores nos enviaram vídeos capturados das mais diferentes formas. Recebemos conteúdo de quatro lugares: Pernambuco, Paraíba, Piauí e Distrito Federal. A tecnologia possibilitou não só a captura como o envio do material. Havia vídeos no Youtube, no Dropbox, no Google Drive, no We Transfer e até mesmo no Messenger do Facebook. Diferentes áudios e texturas de imagem que seriam colocadas lado a lado para passar uma mensagem bacana para os educadores do país, afinal o mais importante sempre será o conteúdo.

No dia 13 recebemos a última contribuição. Tínhamos pouco mais de 24h para analisar as reflexões e estudar a melhor forma de montagem. Arregacei as mangas e pus a mão na massa. Era a minha vez de colaborar. Não posso dizer que foi um trabalho difícil porque o conteúdo que recebi era de extrema qualidade. Não me refiro à questões técnicas, para isso a gente sempre dá um jeito, o foco foi mesmo a qualidade das reflexões, dos sentimentos ali expostos.

O resultado é este vídeo de 8 minutos, produzido a nove mãos e que já tem mais de mil visualizações só no Facebook:




Esse post foi só pra vocês perceberem como é possível planejar rapidamente um projeto colaborativo e o fazer ganhar o mundo; e também para agradecer a toda essa galera que colaborou conosco:

➡ Angela Paiva Dioniso
Rodas de Conversa: https://www.facebook.com/angela.dionisio.56
Nig: http://www.nigufpe.com.br/ 

➡ Juliano da Hora
http://juliano.tumblr.com/ 
https://www.instagram.com/julianodahora/

➡ Leila Ribeiro e Washington Ribeiro
Sala desenvolvimento de processos de aprendizagem na cultura digital: www.sala.org.br
E-mail: imprensa.sala@gmail.com 
Facebook: https://www.facebook.com/salaoficial 

➡ Luci Correia
Narrativas Contemporâneas - https://www.facebook.com/NarrativasContemporaneas
Colecionando Luzes - https://www.facebook.com/colecionandoluzes/

➡ Ribamar Batista
Laboratório de leitura e produção textual: http://labproducaotextual.com
E-mail: labprotextual@gmail.com 
Facebook: https://www.facebook.com/labproducaotextual/
Radiotec - Você conectad@ ao conhecimento
YouTube: https://www.youtube.com/tvradiotec
Facebook: https://www.facebook.com/radiotec.ctf/
Instagram: https://www.instagram.com/radiotec.ctf/ 

➡ Walter Travassos
InfoComics (& memes): https://goo.gl/gFSnq6 
Mapas Conceituais: https://goo.gl/8pZfqm
Projetando com Canudos: https://goo.gl/kRrrZv

Realização
Série Professor Criativo​ by Pipa Comunicação​

Imagens
Capturadas pelos professores criativos que compõem o vídeo

Edição
Karla Vidal​