21 dezembro 2017

Sua sorte do ano já chegou!


2016 foi um ano meio maluquinho e a gente não conseguiu preparar um mimo físico para nossos parceiros. Preparamos mensagens digitais e desejamos que o novo ano pudesse ser uma experiência mais legal para todos. Parece que deu certo! Em 2017 o planejamento funcionou e os brindes da +Pipa Comunicação voltaram!

Como acontece em todos os anos, sempre existe uma história por trás da ideia de presente. Só que neste ano específico a história é tão forte que saiu dos bastidores e se transformou na mensagem em si. E é essa história que vou contar a partir de agora com todos os detalhes.

Antes de iniciar qualquer projeto a gente faz uma pesquisa de referências. Geralmente essa pesquisa é digital, mas em 2017 optamos por algo presencial. Trocamos o Google e o Pinterest pela Feira de Caruaru. Uma das alas da feira é dedicada só ao artesanato e foi exatamente nela que a pesquisa começou.

Nesse ano recebi ajuda da minha mãe que visitou comigo diversas lojas e conversou com inúmeros artesãos e artesãs que vendem suas criações na feira. Passear pela feira é como navegar num mar de criatividade com diversos criativos navegando junto com você. Fuçamos cada metro quadrado da feira em busca de algo que nos ajudasse a contar uma história.

Nessa navegada minha mãe encontrou uma amiga que trabalha como vendedora em uma das lojas. Enquanto elas conversavam examinei a loja até chegar a uma cesta repleta de bonequinhas de pano em miniatura. Esperanças! Gritei. Foi quando a moça respondeu não. "Esperanças são feitas na Paraíba, essas aí são bonequinhas da sorte". Bonequinhas da sorte? Pensei. Eu poderia enviar mensagens de esperança, mas cruzei com a sorte! "Você sabe a história delas?", perguntei. E ela respondeu que sim. Todo artesanato por lá tem uma história curiosa. No mesmo momento informei que levaria 100 delas se ela me contasse a história enquanto selecionávamos.


Daí pra frente foi só emoção! Fiquei sabendo que as bonecas eram produzidas em Gravatá, que fica a uns 30 minutos de Caruaru. Que eram feitas em uma cooperativa de artesãs liderada pela criadora do projeto e também que eram exportadas para diversos países. Outro detalhe é que as menores, do tamanho da ponta do meu dedo indicador, eram produzidas por um homem e se destacavam pela delicadeza e riqueza de detalhes em tamanho tão pequeno.

Voltei pra casa com 100 bonequinhas da sorte e uma curiosidade sem tamanho. Era a vez de usar o Google pra saber mais sobre essa história. Foi quando esbarrei com esse vídeo aqui que apresentava Dona Nilza, a criadora do projeto. Uau, a produção é colaborativa! Encantada, pesquisei mais um pouco e descobri que Dona Nilza é uma ninja que inovou em um momento de dificuldade financeira. Ela precisava gerar renda e tudo que tinha no momento era alguns retalhos doados. Alguém havia sugerido bonecas de pano e ela pensou que poderia propor algo diferente do tradicional, daí a ideia das miniaturas. O projeto deu tão certo que Dona Nilza decidiu ensinar outras pessoas como fazer as bonecas e montou uma cooperativa ajudando a gerar renda para mais de 30 famílias. Eis a sorte atraída pelas bonecas.

via GIPHY

Nesse momento eu vi que a nossa mensagem de fim de ano era a própria história da Nilza Bezerra e da sua criação tão linda. Uma história poderosa de inovação, aprendizagem e colaboração. Tudo simples e criativo como tem que ser. Não tive dificuldade alguma em desenvolver um cartão e fixar uma bonequinha pra desejar boa sorte pra quem irá receber cada um deles. Tudo artesanal também! Impresso, cortado e embalado por mim e por +Augusto Noronha, assim como as criações da Dona Nilza.

Inspirem-se e aguardem! Mais cedo ou mais tarde a sua sorte para 2018 vai chegar em suas mãos! Agradecemos a todos pela parceria! Sem vocês 2017 não teria sido tão bacana.